Foi em comunicado que Miguel Mattos Chaves, presidente da Comissão Política Concelhia do CDS-PP da Figueira da Foz, demonstrou o seu desagrado com os parcómetros e com a Figueira Parques, defendendo o seu fim.
Segue a baixo o comunicado:
“Na reunião da Câmara Municipal da Figueira da Foz, realizada no dia 14 de setembro o presidente do conselho de administração da Figueira Parques, E.M., Nuno Gonçalves, admitiu publicamente que “a empresa não tem consigo o sistema de cobrança dos avisos”.
Desta forma o pagamento dos avisos, bem como do tarifário normal de parqueamento, depende apenas da boa vontade do utilizador em o fazer, sem que quem não o faça tenha qualquer tipo de sanção.
A boa vontade dos figueirenses, bem como a de quem nos visita, é o que sustenta a Figueira Parques, E.M. que não tem capacidade de realizar o propósito para o qual foi criada, ou seja, cobrar pela utilização dos lugares públicos de estacionamento.
E, quanto a nós, ainda bem como adiante se explicará.
Assim a cobrança do estacionamento na Figueira da Foz, para além da falta de razoabilidade e prejuízo que isso acarreta para todos os figueirenses e visitantes, é feita de forma enganadora, pois muitos dos que pagam não estão informados que o não pagamento não acarreta qualquer consequência.
Esta é na verdade uma empresa criada para cobrar pela utilização de algo que é de todos e apenas serve para dar alguns “jobs for the boys” dos partidos no poder autárquico.
Assim toda esta situação leva-nos a fazer uma primeira série de perguntas, subordinadas á questão principal que é:
– Quem realmente beneficia com esta empresa?
É o cidadão que paga para utilizar algo que já pagou para ser feito, mas que na realidade não tem que o fazer?
É o comércio tradicional que tem cada vez menos clientes, por estes não quererem pagar pelo estacionamento para ir aos seus estabelecimentos, quando as grandes superfícies o oferecem de forma gratuita?
São os utilizadores da via pública, que se deparam com carros estacionados em locais indevidos, pois os condutores não querem deixar os seus carros em locais onde o estacionamento é cobrado?
São os trabalhadores da Figueira Parques, E.M., que são obrigados a trabalhar na rua, sujeitos às várias condições climáticas adversas?
Para nós, CDS-PP da Figueira da Foz, é muito claro que nenhum destes grupos beneficia com a existência desta empresa dos “boys” do poder autárquico!
Relembramos que o CDS-PP da Figueira foi o único Partido a apresentar no seu Programa Eleitoral de 2017 a extinção desta empresa, posição que mantemos, passando assim o estacionamento no concelho a não ser pago.
Para além do mais, a existência de parcómetros na nossa cidade só tem prejudicado o Turismo.
Na verdade, muitos dos veraneantes/turistas nacionais e espanhóis que nos visitavam, sobretudo durante o período das férias de Verão, deixaram de o fazer por mais esta razão.
Isto porque exactamente um dos atractivos da Figueira da Foz era o facto de que quem nos visitava estacionar à sua chegada o seu automóvel e nunca mais se preocupar com o mesmo até ao fim da sua estada.
De facto, uma das coisas simpáticas da Figueira é o de tudo ser perto e poder ser feito a pé, nomeadamente: – ir a restaurantes, a lojas do comércio tradicional, a cafés e bares, ao casino, ao ténis, à praia.
E até há alguns anos, até ao cinema se podia ir a pé, o que por incompetência dos órgãos autárquicos, que cederam às exigências dos proprietários que gerem o casino, se perdeu e que constituía igualmente um pólo da atração, não só para os turistas, mas também para os próprios figueirenses.
As pessoas já estão sobrecarregadas com demasiados impostos, taxas, taxinhas, coimas, etc.! Virem para a Figueira passar férias, para ainda terem que pagar diariamente, mesmo que indevidamente, mais uma taxa chamada de parcómetros, … faz com que não venham, pura e simplesmente!
Posto isto, ao CDS-PP da Figueira da Foz não interessam as “queixas” do presidente da Figueira Parques, nem que se encontrem formas de obrigar os cidadãos a pagar mais este imposto disfarçado.
O que defendemos, em nome, em benefício e para bem dos comerciantes, dos hoteleiros e dos cidadãos, do concelho da Figueira da Foz, é que se acabe definitivamente com esta sociedade e com os parcómetros na cidade.
É, para nós, CDS-PP da Figueira da Foz, para além de tudo o mais, uma exigência de justiça e de liberdade”.
(…)